Startups,incubadoras,aceleradoras: os novos caminhos da inovação

O fato de terem nascido como startups é um ponto em comum entre as concorrentes Google e Yahoo. Elas, e muitas outras empresas do novo mundo digital, tiveram um suporte, uma inicialização – que seria a tradução literal de startup. No Estado do Rio a Secretaria de Ciência e Tecnologia resolveu apoiar 50 ideias inovadoras, dando 100 mil reais por ano para cada uma, todas instaladas em um mesmo lugar, com facilidades comuns. Quase todas as ideias inovadoras precisam de uma startup, de incubadoras ou aceleradoras para se tornarem lucrativas. A diferença entre estes termos e as vantagens dessas ajudas, são debatidas pelos convidados. Afinal a efetivação do processo de inovação – que é a transformação do conhecimento científico em produtos – sempre foi apontada como a solução para o desenvolvimento do país.

 

Participantes: Augusto da Cunha Raupp tem mestrado em administração no exterior, e cursa doutorado em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento na Universidade Federal do Rio de Janeiro, a UFRJ. Atualmente é subsecretário estadual de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro e já coordenou diversos projetos em tecnologia no estado.  O inicialmente eletrotécnico Francisco José Batista de Sousa possui mestrado e doutorado em engenharia de produção. Atualmente é professor da Universidade Federal Fluminense – a UFF – onde coordena a incubadora de empresas da universidade. Marcelo Sales é graduado em engenharia da computação e fundador de empresas que fornecem conteúdo de entretenimento móvel, pagamentos de bens virtuais, serviços de marketing e distribuição de aplicações. Em 2011 fundou a aceleradora de negócios 21212. Está envolvido em iniciativas relacionadas ao desenvolvimento do empreendedorismo no Brasil e nos Estados Unidos. Claudia Wilson, inicialmente graduada em processamento de dados, pós-graduada em gestão de negócios e especializada em inteligência competitiva, é a diretora executiva da regional rio da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – a Assespro.